Quem é a Secretária da Assistência Social de Santo Anastácio na Gestão Duca Bonilha


Back to Blog

Quem é a Secretária da Assistência Social de Santo Anastácio na Gestão Duca Bonilha

Durante 4 dias, a assessoria de imprensa municipal apresentou fichas técnicas dos profissionais que assumiram os secretariados das Pastas municipais em 1 de janeiro de 2021. Para finalizar as apresentações das biografias apresentamos a Secretária da Assistência Social.

Para assumir a Pasta da Secretaria Municipal de Assistência Social, foi nomeada a funcionária pública de carreira Raquel Pereira de Oliveira, com graduação em Serviço Social pela – Faculdades Integradas Antônio Eufrásio de Toledo – 1999 e pós-graduada em MBA Executivo em Serviços Sociais e Políticas Públicas – 2017.

Experiência Profissional:

Raquel iniciou sua carreira profissional na área social no âmbito da saúde hospitalar, atuando como assistente social na Irmandade da Santa Casa de Presidente Venceslau de 2001 a 2005.

Em janeiro de 2006 foi nomeada por meio de concurso público para assumir cargo de assistente social na Prefeitura Municipal de Santo Anastácio, onde atua até a presente data.

Durante este percurso, que completará 15 anos em janeiro de 2021, Raquel adquiriu uma larga experiência profissional dentro do seu âmbito de atuação:

Janeiro de 2006 a outubro de 2010: ao ingressar no concurso público, sua primeira experiência foi no órgão gestor – Secretaria Municipal de Assistência Social, desempenhando atividades no trabalho direto com famílias, como também, no apoio à gestão;

Outubro de 2010 a novembro de 2011 exerceu a função de coordenação do CREAS – Centro de Referência Especializado de Assistência Social, participando da implantação deste serviço em nosso município;

Fevereiro de 2011 a fevereiro de 2012 – atuou como assistente social no Serviço de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes;

Fevereiro de 2012 até outubro de 2018 – retornou novamente à Secretaria Municipal de Assistência Social, desempenhando novamente atividades no trabalho direto às famílias, como também, no apoio à gestão;

Outubro de 2018 a dezembro de 2020 – nova atuação no CREAS – Centro de Referência Especializado de Assistência Social, exercendo a função de assistente social.

Responsabilidades do Setor:

A Secretaria Municipal de Assistência Social é o Órgão responsável pela gestão da Política de Assistência Social no município, tendo como competência fiscalizar, avaliar, executar, implantar e ou implementar ações, serviços, programas e projetos que constituem a rede de atendimento da Política Municipal de Assistência Social, somando esforços com as demais políticas setoriais: saúde, educação, habitação, esporte/cultura, entre outras.

Essa rede de atendimento, denominada rede socioassistencial é constituída de Programas, Projetos, Serviços e Benefícios, executados por níveis de proteção social: Básica, Especial de Média Complexidade e Especial de Alta Complexidade.

A Rede de Proteção Social Básica – objetiva prevenir situações de risco por meio do desenvolvimento de potencialidades e aquisições e o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários, sendo o Centro de Referência de Assistência Social – CRAS, a unidade pública responsável pela oferta desta proteção.

A Rede de Proteção Social Especial – destina-se a famílias e indivíduos em situação de risco pessoal e social, por ocorrência de abandono, maus tratos, abuso sexual, cumprimento de medidas socioeducativas, situação de rua, situação de trabalho infantil.

Sua oferta prevê a proteção de média e alta complexidade, sendo que a média complexidade se destina a famílias e indivíduos com seus direitos violados, mas cujos vínculos familiares não foram rompidos, tendo o Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS, como serviço referenciado no atendimento dessa demanda.

A Alta Complexidade destina-se a famílias e indivíduos cujos vínculos familiares encontram-se rompidos por ocorrência de situação de violação de direitos e ou violência, ou necessitem ser retirados do seu núcleo familiar e ou comunitário em decorrência de ameaça e ou risco de violação de direitos. Os Serviços que destinam ações para esse nível de proteção são os Serviços de Acolhimento Institucional ofertados de acordo com o ciclo de vida, repúblicas, casas de passagem, podendo apresentar inúmeras formas de violação sofridas por segmentos específicos da população (deficiente, idoso, mulher, crianças, adolescentes, adultos, pessoas em situação de rua).

Fonte Assessoria de Imprensa

Share this post

Back to Blog