Idoso atropelado por caminhão na Avenida Brasil não resiste aos ferimentos e morre na Santa Casa de Misericórdia


Voltar para Blog

Idoso atropelado por caminhão na Avenida Brasil não resiste aos ferimentos e morre na Santa Casa de Misericórdia

O idoso, de 84 anos, atropelado por um caminhão na manhã desta quarta-feira (12) em um trecho da Avenida Brasil, no Centro de Presidente Prudente (SP), não resistiu aos ferimentos e morreu na Santa Casa de Misericórdia. A vítima foi socorrida e levada pelo Corpo de Bombeiros ao hospital, mas não suportou as lesões e faleceu pouco tempo depois.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, quando a Polícia Militar chegou ao local do acidente, a quipe do resgate já estava presente e uma médica realizava os primeiros atendimentos de reanimação na vítima. Além disso, embora o idoso estivesse vivo, “apresentava ferimentos graves”, como múltiplas fraturas e vísceras expostas.

Ainda conforme os militares, a vítima foi rapidamente conduzida à Santa Casa de Misericórdia, em Presidente Prudente, onde foi informado que o idoso não resistiu aos ferimentos e morreu pouco tempo depois.

O motorista

Segundo os policiais, no local também estava o caminhoneiro, de 48 anos, que relatou ser motorista desde os 18 anos e que “nunca sofreu ou causou acidentes com o caminhão nem carro, apenas se acidentou de moto”.

O motorista também informou aos policiaus que é morador de Ribeirão Preto (SP), porém afirmou que Presidente Prudente está no seu trecho há muitos anos e conhece bem a cidade.

Aos policiais, o envolvido explicou que passou a noite em um posto de combustíveis, em Pirapozinho (SP), e acordou para fazer entregas em Presidente Prudente. Segundo o motorista, estava se dirigindo para uma loja de materiais de constuções e, por isso, conduzia o caminhão pela Avenida Brasil no sentido bairro-centro.

Conforme o Boletim de Ocorrência, ao chegar no cruzamento com a Avenida Manoel Goulart, o condutor informou que o semáforo estava fechado, havendo entre o caminhão e a faixa de pedestres três veículos.

Quando o semáforo abriu, o envolvido iniciou a manobra de aceleração para o mesmo sentido, pela Avenida Brasil, quando “foi surpreendido por um homem que quase que pulou em frente ao veículo e, por estar muito perto e o veículo ser alto, quase que não o viu”.

Ainda conforme o motorista, ele chegou a frear o caminhão, mas ainda assim ouviu gritos. Assim, de imediato, “desceu e viu que a roda do seu caminhão prensou o corpo da vítima sobre o asfalto”.

O homem também informou que pediu que os comerciantes ligassem para a emergência e que permaneceu o tempo todo ao lado do idoso até a chegada do resgate.

No momento que permaneceu ali, o homem informou aos militares que verificou o sentido do pé da vítima e que, naquele local, “há um grande desnível no asfalto que criou uma espécie de ‘tartaruguinha’ ali, e acredita que a vítima atravessou a avenida e tropeçou neste obstáculo, indo involuntáriamente para a frente do caminhão”.

Além disso, o envolvido afirma que, por se tratar do cruzamento de duas das principais vias da cidade, acredita que possa haver filmagens de câmeras de segurança.

O caminhoneiro também disse aos militares que foi submmetido ao teste do etilômetro, bem como apresentou exame toxicológico em dezembro de 2023, estando dentro do prazo.

Boletim de Ocorrência

De acordo com o documento, a Polícia Científica foi acionada para realizar o trabalho de perícia e o teste de etilômetro no caminhoneiro não indicou consumo de álcool.

Ainda segundo o Boletim de Ocorência, “diante dos elementos apurados até o momento, entende-se que não há motivos suficientes para a decretação da prisão do caminhoneiro”.

O documento lista os seguintes motivos:

Conforme relato do autor, o semáforo estava verde para ele no momento do acidente, indicando que ele tinha o direito de prosseguir no cruzamento, configurando uma situação regular de trânsito;

O teste de etilômetro realizado no local do acidente não indicou a presença de álcool no organismo do caminhoneiro. Adicionalmente, o exame toxicológico válido apresentado pelo autor corrobora a ausência de substâncias entorpecentes, demonstrando que ele estava em condições normais de condução;

O caminhoneiro prontamente parou o veículo e tentou prestar auxílio à vítima, acionando os serviços de emergência, evidenciando sua intenção de colaborar com o atendimento e socorro imediato, conforme exigido pela legislação;

Não há indícios de que o autor tenha tentado fugir do local ou evitar sua responsabilidade. Pelo contrário, ele permaneceu no local do acidente até a chegada das autoridades competentes e prestou todas as informações necessárias; e

A equipe de resgate que estava presente no local confirmou a gravidade dos ferimentos da vítima e a tentativa de reanimação. “Esses testemunhos reforçam a versão apresentada pelo caminhoneiro e não indicam comportamento negligente ou imprudente por parte do autor”.

O motorista foi conduzido para a Delegacia da Polícia Civil para identifdicação e registro da ocorrência, mas não houve a necessidade do auto de prisão em flagrante.

Fonte: G1

Compartilhar esta postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para Blog

APOIADO POR: