Homem mais alto do país terá que amputar a perna para conter doença

Homem mais alto do país terá que amputar a perna para conter doença

Joélisson Fernandes da Silva, o homem mais alto do Brasil, com 2,39 metros, terá que amputar a perna para conter uma infecção no pé direito. A informação é do portal UOL.

Conhecido na Paraíba como Ninão, o homem de 36 anos, morador de Assunção, no sertão da paraibano, sofre de uma doença chamada osteomielite no osso do pé, há mais de quatro anos.

Em entrevista ao UOL, Ninão contou que as dores o impedem de trabalhar, caminhar e ter uma vida normal. Atualmente, ele está usando cadeira de rodas para se locomover.

A decisão pela cirurgia foi feita em conjunto com a família. “Eu e toda minha família já sentamos e conversamos que é o melhor para mim. Já faz 4 anos e meio que estou nessa situação sem nenhuma melhora”, disse.

Os recursos para realizar a cirurgia ele conseguiu arrecadar com a ajuda de influenciadores da cidade e de uma deputada.

Após o procedimento, Ninão deve usar uma prótese produzida para seu tamanho. Ele já iniciou uma campanha online para arrecadar dinheiro pagar cobrir esse gasto. A vaquinha no Voa já alcançou R$ 35 mil, mas a meta é chegar em R$ 150 mil.

Osteomielite
Osteomielite é uma infecção do osso que pode causar dor. Ela pode tanto começar no próprio osso exposto a germes ou viajar pela corrente sanguínea até atingir o osso.

Fumantes e pessoas com doenças crônicas, como diabetes ou insuficiência renal, têm maior risco de desenvolver osteomielite.

A maioria das pessoas precisa de cirurgia para remover áreas atingidas. Após a cirurgia, antibióticos intravenosos fortes costumam ser administrados.

Sinais e sintomas
De acordo com a Mayo Clinic, algumas vezes, a osteomielite não causa sintomas, quando eles aparecem, no entanto, são difíceis de distinguir de outros problemas. Alguns dos sinais incluem febre, inchaço, calor e vermelhidão na área da infecção, dor e fadiga.

Foto Redes Sociais
Foto Redes Sociais

Fonte Catracalivre

Compartilhe esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *