Servidores Referência 1 iniciam greve em Prudente


Voltar para Blog

Servidores Referência 1 iniciam greve em Prudente

Serviços gerais, cozinheiras, vigias diurnos, serventes de pedreiro, auxiliar de telefonista e auxiliar de biblioteca que integram grupo reivindicam migração para referência 11

Servidores municipais da Referência 1 entram em greve em Presidente Prudente. Após manifestação durante toda esta quarta-feira, em frente à Prefeitura, ao final da tarde foi confirmado, após assembleia, que a greve segue por tempo indeterminado. Segundo Luciana Telles, presidente do Sintrapp (Sindicato dos Servidores Municipais de Presidente Prudente e Região), a pauta de reivindicação é a alteração de referência dos trabalhadores municipais. “A reivindicação é a migração para a referência 11. Os profissionais que fazem parte dessa referência são serviços gerais, cozinheiras, vigias diurnos, serventes de pedreiro, auxiliar de telefonista e auxiliar de biblioteca. Ao final de cada dia faremos nova assembleia para decidir se para ou continua com a greve, depende da proposta da administração pública”, expõe a presidente do sindicato.
Conforme Luciana, o protesto realizado durante todo esta quarta-feira, em frente à Prefeitura, com faixas, cartazes e microfone contou com apoio e a presença de pais de alunos, profissionais de outros cargos municipais e cobertura da imprensa local.

Tentativa de negociação

De acordo com Luciana, no final do dia fizeram uma tentativa de negociação com o Executivo, mas não obtiveram êxito, até por volta das 17h. Ela salientou que na terça se deu um início de negociação, sendo a primeira proposta concreta que esta administração fez depois de praticamente um ano de comissão constituída da referência 1. 
“Então já é um início de diálogo. Imaginávamos que fosse dar continuidade nesta quarta, mas, infelizmente, não tivemos essa negociação ainda. A proposta apresentada não é viável para a categoria, porque não vem ao caso falar em porcentagem. Na verdade, o que reivindicamos é mudança de referência e esta proposta da Prefeitura representa um terço do que está sendo pedido”, acentua a presidente do sindicato.

Elevação salarial de 10%

A Prefeitura de Presidente Prudente informa que sempre esteve à disposição dos representantes dos servidores para dialogar e encontrar alternativas que atendam às reivindicações da categoria e que sejam viáveis do ponto de vista orçamentário e do limite de gastos com folha de pagamento, que é instituído por lei. 
Dessa forma, como noticiado por O Imparcial, no fim da tarde desta terça-feira (28), o prefeito Ed Thomas (sem partido) e secretários municipais se reuniram e apresentaram aos servidores a proposta de elevação salarial de aproximadamente 10%, subindo da atual Referência 1 (cujo salário-base é de R$ 1.479,87) para a Referência 8, que hoje está em R$ 1.624,70. Os servidores ainda fazem jus a um tíquete-alimentação no valor de R$ 1.140,41 e um abono mensal de R$ 250.  Cabe ressaltar que essa proposta de reajuste ainda não considera a data-base do funcionalismo público, quando deverá haver nova readequação salarial, dessa vez beneficiando todos os servidores municipais.
Informa ainda que administração municipal segue aberta ao diálogo com a categoria para uma rápida resolução deste impasse, garantindo a prestação dos serviços essenciais aos cidadãos, sobretudo na área da educação, que tem sido a mais prejudicada com a paralisação dos servidores, uma vez que as escolas municipais, que atendem a mais de 19 mil alunos, dependem dos funcionários da limpeza e da merenda escolar para que possam receber os estudantes.

Fonte :O Imparcial

Compartilhar esta postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para Blog

APOIADO POR: