Presidente Prudente confirma primeiro caso de leishmaniose visceral em humano de 2023


Voltar para Blog

Presidente Prudente confirma primeiro caso de leishmaniose visceral em humano de 2023

Secretaria de Comunicação (Secom) informou que, por orientação da Secretaria de Saúde, “para preservar a identidade do paciente”, não irá informar o bairro onde a doença foi confirmada.

A Vigilância Epidemiológica Municipal (VEM) confirmou nesta quarta-feira (5) o primeiro caso de leishmaniose visceral em ser humano deste ano de 2023, em Presidente Prudente (SP).

O caso foi registrado em um homem, que está hospitalizado para ser medicado e, conforme o protocolo médico, segue estável.

A Secretaria de Comunicação (Secom) informou que, por orientação da Secretaria de Saúde, “para preservar a identidade do paciente”, não irá informar o bairro onde o caso foi confirmado.

No local, a VEM irá realizar um “trabalho de orientação nesta semana em relação à importância do manejo ambiental para a limpeza dos quintais, das fezes dos animais e da poda de árvores”.

Além disso, a vigilância orienta que os moradores devem “manter sempre o quintal limpo e rastelado, com a retirada de objetos que possam contribuir para a proliferação do mosquito-palha, que é o transmissor da doença. Também haverá um trabalho de orientação e prevenção nas escolas e igrejas do bairro”.

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) também fará uma ação para testagem da sorologia nos cães para identificar a Leishmaniose Visceral canina.

O primeiro caso de Leishmaniose Visceral humana foi registrado em Presidente Prudente no ano de 2013.

Com o caso confirmado nesta quarta-feira, a cidade soma 15 positivos, com dois óbitos, um em 2016 e outro em 2017.

Conforme o Ministério da Saúde, a “Leishmaniose Visceral é uma zoonose de evolução crônica, com acometimento sistêmico e, se não tratada, pode levar a óbito em até 90% dos casos”.

“A doença é transmitida ao homem pela picada de fêmeas do inseto vetor infectado, denominado flebotomíneo e conhecido popularmente como mosquito-palha. No Brasil, a principal espécie responsável pela transmissão é a Lutzomyia longipalpis”, explica.

“Os principais sintomas são febre de longa duração, aumento do fígado e baço, perda de peso, fraqueza, redução da força muscular e anemia”, conclui.

Fonte: G1

Compartilhar esta postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para Blog

APOIADO POR: