Prefeitura de SP antecipa 5 feriados para conter avanço da Covid


Voltar para Blog

Prefeitura de SP antecipa 5 feriados para conter avanço da Covid

Dois feriados municipais de 2021 e três de 2022 foram antecipados para os dias 26, 29, 30 e 31 de março, além de 1° de abril. Gestão municipal também alterou horário de rodízio de carros na cidade.

A Prefeitura de São Paulo decidiu antecipar cinco feriados municipais a partir do dia 26 de março e alterar o horário de funcionamento do rodízio de carros na cidade para tentar conter o avanço de casos de Covid-19.

Dois feriados são deste ano, e outros três, de 2022. O anúncio foi feito pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) em coletiva virtual no início da tarde desta quinta-feira (18).

Serão antecipados para os dias 26, 29, 30 e 31 de março e 1° de abril os feriados de Corpus Christi de 2021 e 2022, da Consciência Negra de 2021 e 2022, além do aniversário da cidade de 2022.

Datas dos novos feriados:

26/03 – sexta-feira

29/03 – segunda-feira

30/03 – terça-feira

31/03 – quarta-feira

1°/04 – quinta-feira

A medida visa reduzir a circulação de pessoas nas ruas e mira setores da indústria e empresas que ainda seguem funcionando durante a fase emergencial, em vigor em todo o estado desde a última segunda-feira (15).

“Vamos antecipar os dois feriados municipais que temos esse ano e os três municipais que temos em 2022 para que a gente possa reduzir a circulação de pessoas. Esses cinco feriados serão antecipados para os dias 26, 29, 30, 31 e dia 1°, juntando, inclusive, com o feriado nacional, que nós temos na sexta-feira (2). Portanto, nós teremos um prazo que vai de sexta-feira, dia 26, até dia 4 de abril, domingo, sem dia útil, para poder exatamente forçar a cidade a parar”, afirmou Bruno Covas.

Não é a primeira vez que a gestão de Covas decide antecipar feriados como estratégia para frear a contaminação pelo coronavírus.

Em julho de 2020, a gestão Covas antecipou os feriados de Corpus Christi e o da Consciência Negra.

Mais cedo, em entrevista à GloboNews, o prefeito afirmou que a capital paulista não tem efetivo de segurança para implementar medidas restritivas mais rígidas.

“No município é inviável decretar lockdown. A gente tem 1.000 guardas da GCM (Guarda Civil Metropolitana). É inviável fiscalizar se as pessoas estão saindo de casa com mil guardas”, afirmou.

Morte por falta de atendimento

Nesta quinta-feira (18), o prefeito confirmou a primeira morte de um paciente com Covid-19 por falta de leito de UTI.

A vítima é um jovem de 22 anos, que morreu no dia 13 de março, dois dias após ser internado na UPA de São Matheus, na Zona Leste da capital.

No estado, ao menos 79 pessoas com Covid-19 ou suspeita morreram na fila por um leito de UTI.

A explosão de casos atinge também a rede privada da capital. Nesta semana, hospitais particulares pediram 30 leitos do SUS à Secretária Municipal da Saúde.

Fonte: G1

Compartilhar esta postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para Blog

APOIADO POR: