Pets sofrem com barulho e clarão de fogos de artifícios


Voltar para Blog

Pets sofrem com barulho e clarão de fogos de artifícios

Na passagem de ano é comum ver o espetáculo deles no céu, então, alguns cuidados podem amenizar o sofrimento dos bichinhos, como colocá-los em um cômodo escuro e com música alta

O último dia do ano é marcado pela queima de fogos em festas e confraternizações, como a forma mais tradicional de celebrar a chegada do novo ano. Embora seja um lindo espetáculo para os olhos, e emocionante aos corações, os fogos de artifício têm um malefício: seu barulho é prejudicial para os animais de estimação, principalmente os cachorros.  Segundo o doutor dos animaizinhos, Emerson Luiz Ribas, do Hospital Veterinário São Manoel, em Presidente Prudente, os pets se incomodam muito não apenas com o barulho dos fogos, mas também com o clarão que provocam. 
Para amenizar um pouco esse sofrimento dos bichinhos, ele cita algumas táticas que podem ajudar, como: durante o período da solta dos fogos que seus donos, se puderem, fiquem com os animais, coloquem chumaço de algodão em seus ouvidos para dar uma mascarada no barulho, procurem ficar num cômodo da casa que de preferência tenha cortina e ligue um rádio, a TV, qualquer aparelho com a música num volume mais alto.
“O grande problema é que quando eles [cachorros] se estressam, se tiver mais de um animal no mesmo ambiente eles acabam brigando entre si. Se mutilam. Ou, às vezes, saem correndo sem rumo para a rua e podem ser atropelados. Se machucam batendo nas paredes ou se enroscando nas grades de portões. Animais que já têm alguma doença pré-existente, cardiopatas, por exemplo, o susto, a descarga de adrenalina é tão grande, que eles acabam tendo uma taquicardia, acabam descompensando, faz edema agudo de pulmão podendo até ir a óbito”, destaca Emerson. 

Cuidado, amor e muito carinho

O coraçãozinho acelera, a respiração fica ofegante, tremem muito e, às vezes, tentam até morder quem tenta conter o nervosismo deles. Os cachorrinhos podem ter todas essas reações juntas ou separadamente. Tudo isso pelo medo que sentem do barulho e do clarão dos fogos. Medo este que pode ser por várias causas, desde o fato do animal não ser acostumado com barulhos muito altos até por ter a audição mais sensível desde que nasceu.
Os futuros médicos, Gabriel Cabral e Ingra Maria Ceribelli que carregam Duda, João e Amora para todo lugar que vão, já se preparam nas comemorações que habitualmente tem queima de fogos, pois os doguinhos ficam muito agitados e assustados quando ouvem os estouros. “A gente tenta acalmá-los pegando no colo, conversando com eles. Mas os coraçõezinhos parecem que vão sair pela boca, tadinhos”, confirma Ingra.

Fonte: O Imparcial

Compartilhar esta postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para Blog

APOIADO POR: