Nascimento de Jesus é reproduzido em presépio no Jardim Planalto


Back to Blog

Nascimento de Jesus é reproduzido em presépio no Jardim Planalto

O local atrai diversas pessoas que se encantam com a beleza das obras e a mensagem central da história da humanidade, a encarnação do filho de Deus. “Muitas pessoas passam para observar o presépio, outras trazem a família para prestigiar a mensagem do Natal. É sempre gratificante!”, destaca o aposentado. Como manda a tradição, os fiéis aguardam o dia 25 para colocarem o menino Jesus em sua manjedoura. 
Em casa ou na igreja, não existe uma regra de como tem que ser o presépio, explica o padre da Diocese de Presidente Prudente, Tiago da Silva Carvalho. Ele começa com a Sagrada Família (Maria, José e Jesus) e os personagens vão sendo inseridos de acordo com o desejo, manifestação de cada casa, e a realidade de cada família. “Tem pessoas que montam o presépio na simplicidade, e têm àquelas que montam com ornamentos e tudo mais. Mas, o valor e o simbolismo são os mesmos. É o carinho, a devoção, o empenho, a dedicação nesta celebração do nascimento de Jesus”, explica.

SAIBA MAIS 

Cada figura do presépio tem sua importância, segundo a tradição católica. Os animais representam a natureza a serviço do homem e de Deus. No nascimento de Jesus forneceram calor ao local e simbolizam a simplicidade do espaço escolhido para a vinda do menino. Os pastores, depois de Maria e José, foram os primeiros a saberem do nascimento do salvador. Eles também simbolizam a humildade, pois naquele tempo a profissão de pastor era uma das menos reconhecidas.
O anjo representa o céu, que celebra o nascimento de Jesus. É o mensageiro de Deus, comunicador da Boa Notícia. O anjo do presépio, normalmente, segura uma faixa com a frase: “Gloria in excelsis Deo”, que significa: Glória a Deus nas alturas. A estrela simboliza a luz de Deus que guia ao encontro do salvador e orientou os Reis Magos onde estava Jesus. É a indicação do caminho que se deve percorrer para encontrar o menino Jesus.
Os Reis Magos Belchior, Gaspar e Baltazar eram homens da ciência. Conheciam astronomia, medicina e matemática. Eles representam a ciência que vai até o salvador e o reconhece como Deus. Segundo São João Paulo II, “a verdadeira ciência nos leva à fé”, pois revela a grandeza da criação. Ouro, incenso e mirra são os presentes que os magos oferecem ao Menino Jesus. O ouro significa a realeza, era um presente dados aos reis. O incenso significa a divindade, um presente dado aos sacerdotes. Sua fumaça simboliza as orações que sobem ao céu. Dando este presente a Jesus, os magos reconhecem que o menino é divino. E a mirra simboliza o sofrimento e a eternidade. É um presente profético: anuncia que Jesus vai sofrer, mas também que seu reinado será eterno.
São José é o pai adotivo de Jesus, o homem que o assumiu como filho, que lhe deu um nome, um lar, que ensinou a Jesus uma profissão: a de carpinteiro. São José deu ao menino Jesus a experiência de ser filho de um pai terreno. Já Maria foi a escolhida para ser a mãe do Salvador. É aquela que disse “sim” à vontade de Deus, e por ela a humanidade recebeu Jesus.
O menino Jesus é o filho de Deus que se fez homem para dar sua vida pela humanidade. “Sendo Ele de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus, mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-se aos homens” (Filipenses 2, 6-7). 
Fonte: Canção Nova

Share this post

Back to Blog