Funcionários do transporte coletivo urbano de Presidente Prudente fazem paralisação


Voltar para Blog

Funcionários do transporte coletivo urbano de Presidente Prudente fazem paralisação

Protesto teve início nesta quarta-feira (26) e, por enquanto, nenhum ônibus saiu da garagem da empresa. Categoria reivindica o pagamento do vale-alimentação e o adiantamento do vale que deve ser pago no dia 20.

Os funcionários do transporte coletivo urbano de Presidente Prudente iniciaram uma paralisação nesta quarta-feira (26). É a terceira vez somente este ano que os trabalhadores decidem interferir no serviço como forma de protesto.

Conforme a categoria informou a TV Fronteira, são cerca de 220 trabalhadores, entre motoristas, cobradores e funcionários internos e em torno de 70 veículos deixam de circular nesta quarta-feira (26).

Durante a madrugada, em assembleia, ele decidiram paralisar o serviço por tempo indeterminado.

Os trabalhadores informaram que notificaram a empresa Prudente Urbano, e a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) para que num prazo de 72 horas o pagamento do vale-alimentação e o adiantamento do salário, que é pago todo dia 20, sejam regularizados.

Ainda conforme a categoria, esse prazo de 72 horas vence na manhã desta quinta-feira (27) e a paralisação é para chamar a atenção da empresa.

O secretário da Semob, Luiz Edson de Souza, afirmou à TV Fronteira que a “paralisação é ilegal”, já que eles deram um prazo de 72 horas para que a empresa regularizasse a situação.

Ele disse também que a Semob foi avisada sobre a situação e que, imediatamente, a pasta municipal notificou a Prudente Urbano para saber o que iria ser feito para regularizar o pagamento dos funcionários e que a empresa se comprometeu a fazer os pagamentos em atraso no prazo de 72 horas, que vence nesta quinta-feira (27).

A Prudente Urbano enviou ao G1 a seguinte nota:

“A Prudente Urbano informa que no dia 24 de maio, recebeu a notificação, por meio do Sintratepp, informando sobre a greve em decorrência do atraso do adiantamento salarial, denominado “vale do dia 20”.

No mesmo dia, por meio de ofício, a empresa concessionária do transporte coletivo municipal, informou o Poder Concedente solicitando ainda, com a máxima urgência, uma audiência pública com o Prefeito Ed Thomas, juntamente com o Ministério Público Estadual, Ministério Público do Trabalho, Sindicato dos Trabalhadores e SEMOB.

A Prudente Urbano reforça que não tem medido esforços, mesmo ao longo dessa pandemia, porém possui atuação limitada e tem buscado, insistentemente, o Poder Público para que medidas efetivas sejam tomadas assegurando a continuidade da prestação dos serviços à comunidade, dado o caráter essencial, para que não haja prejuízos aos cidadãos prudentinos.”

Outras paralisações

Problemas com o adiantamento do vale no dia 20 e atraso ou falta do pagamento integral do vale-alimentação também motivaram outras ações dos trabalhadores da Prudente Urbano.

Em janeiro, eles realizaram a primeira paralisação. Já no mês de março, os ônibus saíram com atraso da garagem por causa de uma reunião para discutir os assuntos, o que gerou lotação em algumas linhas.

Por Emerson Sanchez, TV Fronteira Fonte: G1

Compartilhar esta postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para Blog

APOIADO POR: