Covid-19: hospitais recorrem ao Estado para manutenção de estrutura hospitalar


Back to Blog

Covid-19: hospitais recorrem ao Estado para manutenção de estrutura hospitalar

Os dados da Covid-19 na região de Presidente Prudente mostram que a doença voltou a avançar, sobretudo na capital do oeste paulista. A situação cria reflexo na estrutura hospitalar, ao levar em conta os casos que precisam de internação. E, no momento, ao cruzar a falta de recursos com o aumento da ocupação de leitos, o resultado não é positivo. Pensando nisso, hospitais prudentinos recorreram ao Estado, pois, além de encarar o drama descrito, enfrentam a redução no número de leitos.

No primeiro ponto está o HRCPP (Hospital Regional do Câncer de Presidente Prudente). Como noticiado por este diário, a unidade de saúde, que possuía um acordo com o governo estadual até setembro deste ano, recebeu o repasse de R$ 6,3 milhões, a fim de lidar com o atendimento de pacientes oncológicos do DRS-11 (Departamento Regional de Saúde) como um todo, para que o HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo ficasse direcionado à Covid-19.

Na época, transferências foram feitas ao hospital de especialidade oncológica, direto do HR. O presidente do HRCPP, Francelino Magalhães, destaca que foram 480. Contudo, ocorre que, nesse meio tempo, a entidade afirma que acolheu mais pacientes além dos oncológicos e, com isso, elevou a demanda hospitalar. Por esta razão, a instituição buscou o apoio de autoridades e da comunidade para que seja firmado um novo convênio com o Estado.

E foi o mesmo que fez a Santa Casa de Misericórdia, no que tange à busca direta com a Secretaria Estadual de Saúde. Na edição de ontem, em matéria sobre as recomendações do MPE (Ministério Público Estadual) para a contenção da Covid-19, o promotor Marcelo Creste alertou sobre a o fechamento de 11 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) no hospital em questão, o que seria um cenário preocupante.

Questionada, a Santa Casa confirmou a situação, e informou em nota que solicitou a prorrogação do “contrato para os leitos de UTI para Covid-19 junto ao Departamento Regional de Saúde [DRS] e está aguardando a renovação”.  A Assessoria de Imprensa da unidade de saúde reiterou ainda que, dos leitos, “são 11 em funcionamento e 10 inativos”.

Continua em análise

Tanto no caso do HRCPP quanto da Santa Casa, a Secretaria de Estado da Saúde informa que ambas as demandas ainda estão sob análise. Além disso, o governo não deixou de mencionar que, juntamente ao Centro de Contingência de Coronavírus, monitora o cenário epidemiológico, visando salvar vidas e assegurar atendimento igualitário. “Com base nesses critérios, a pasta analisa o pleito de prorrogação do convênio” com os hospitais, considerando o compromisso “de manutenção de leitos exclusivos para Covid-19 em todas as regiões”, salienta.

Não obstante, a secretaria expôs ainda que mais de 60 respiradores foram enviados à região, incluindo 10 para a Santa Casa, além do que, mantém 10 leitos de UTI no HR, com ocupação de 80% [até ontem], taxa que varia no decorrer do dia em virtude de fatores como altas, óbitos ou transferências para leitos de enfermaria ou UTI, por exemplo. “Outros 10 leitos do tipo estão operando para atendimentos a outras patologias de urgência e podem ser redirecionados para casos de coronavírus, se necessário”, frisa.

Até a atualização da tarde de ontem, vale destacar que a taxa de ocupação no DRS de Prudente era de 54,3% em UTI e 58,5% em enfermaria e, portanto, “a rede hospitalar segue com condições de assistir casos graves do novo coronavírus”, também conforme o Estado.

SAIBA MAIS

Nos casos de leitos de alta complexibilidade, como oncológicos, a habilitação também depende da aprovação do Ministério da Saúde. Até o fechamento desta edição, a reportagem procurou o órgão ministerial para repercutir o assunto, mas não obteve sucesso.

SAIBA MAIS 2

A retomada dos convênios da saúde estadual com a Santa Casa de Prudente e demais unidades, prevendo os recursos necessários para que haja a continuidade do atendimento dos casos de Covid-19, foi a garantia dada pelo vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia ao deputado estadual Ed Thomas (PSB) e, prefeito eleito de Prudente. No ofício entregue ao vice-governador, Ed enumera as necessidades para que as unidades de saúde cidade continuem atendendo dentro dos protocolos exigidos pelo próprio Estado. A diminuição do número de leitos de UTI na santa casa local, exigirá ainda mais cuidados com o atendimento dos casos do vírus, que têm aumentado na região. “Esta preocupação reiteramos agora pouco com o vice-governador Rodrigo Garcia, que nos garantiu que tudo está sendo feito para que os convênios sejam retomados, os recursos cheguem e as unidades de Saúde continuem oferecendo atendimento aos casos da pandemia”, enfatizou Ed.

Fonte O Imparcial

Share this post

Back to Blog