Após mais de quatro meses de interdição, ponte da Estrada Aymoré é liberada para o tráfego de veículos


Voltar para Blog

Após mais de quatro meses de interdição, ponte da Estrada Aymoré é liberada para o tráfego de veículos

Trecho que passou por obras de reparos havia sofrido danos causados por uma forte chuva no fim de janeiro deste ano em Presidente Venceslau (SP).

Depois de passar mais de quatro meses interditada, a ponte da Estrada Aymoré (PSV-060), em Presidente Venceslau (SP), foi novamente liberada para o tráfego de veículos neste sábado (11). O local havia sofrido danos em sua estrutura no fim de janeiro, em razão de uma forte chuva, e durante dois meses e meio ficou submetido a obras de reparos no trecho.

Os trabalhos de recuperação das cabeceiras foram executados pela empresa responsável pelo serviço de recapeamento, após contrato celebrado com o governo estadual. As obras foram iniciadas semanas antes da assinatura do contrato, como forma de agilizar a entrega do dispositivo para a população.

As cabeceiras receberam gabiões, em substituição às estruturas de madeira que serviam de sustentação ao pavimento. Canaletas de escoamento de água da chuva foram construídas e a ponte recebeu também uma nova pintura.

Em 28 de março, dia em que os trabalhos haviam sido iniciados, a expectativa era a de entregar a ponte em 60 dias, com possibilidade de prorrogação de prazo por mais 15 dias. Considerando a prorrogação, o prazo foi cumprido.

A Estrada Aymoré faz a ligação entre os municípios de Caiuá (SP), Presidente Epitácio (SP) e Presidente Venceslau, além de servir como via de acesso para moradores de assentamentos rurais e agrovilas.

Durante a interdição, a Prefeitura de Presidente Venceslau providenciou a manutenção em desvios por estradas rurais como forma de auxiliar os motoristas que trafegavam pelo trecho.

A ponte da Estrada Aymoré foi interditada no dia 3 de fevereiro deste ano, após orientação do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) feita para a Prefeitura de Presidente Venceslau.

O trecho foi visitado por profissionais vinculados ao órgão estadual, que identificaram que a constante passagem de veículos não era aconselhável, em razão de a cabeceira da ponte ter apresentado problemas em sua estrutura após a forte chuva do dia 30 de janeiro. A interdição foi necessária com o objetivo de prevenir acidentes graves no trecho.

Fonte: G1

Compartilhar esta postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para Blog

APOIADO POR: